Usuário Senha Registe-se aqui

Troia - Sagres [dicas para uma boa viagem]

 

 

Das múltiplas conversas que temos sobre estas coisas das bicicletas, mais cedo ou mais tarde acabamos por ouvir falar neste evento, pelo que, o desejo de nele participar acaba por surgir normalmente. Com ele surge também, a definição de uma metodologia de preparação, a qual nos permita enfrentar os mais de 200Km por asfalto, com alguma (a possível) naturalidade.

Pelo que nos foi dado a conhecer, ainda não foi encontrado consenso quanto à quilometragem do Tróia – Sagres. As medições divergem entre 200Km e 210Km, os quais podem ser divididos em 3 troços diferentes: Tróia-Sines, Sines-Rogil e Rogil-Sagres.

a) Tróia-Sines
São 70Km. O piso é bom, extremamente rolante e não encerra dificuldades de maior. Interessa sobretudo não extravasar o nosso ritmo, para que a factura dum eventual esforço adicional, comprometa o desempenho nos quilómetros subsequentes

b) Sines-Rogil
São 90Km. É a pior parte do percurso. As subidas de S. Teotónio e Odeceixe, o piso irregular, por vezes mau que, dificulta o rolamento, e a orografia que impede a manutenção do ritmo constante. Há que tentar ultrapassar as dificuldades, gerindo o esforço, de modo a não exceder os nossos limites

c) Rogil-Sagres É o ponto chave! Marca a entrada no Algarve e quem aqui chegar em boas condições, não terá dificuldades para atingir Sagres. Quem estiver debilitado, deverá procurar recuperar, sob pena de "bater contra a parede" na subida de 7Km, na Carrapateira, ou mesmo antes , no sobe e desce após Aljezur.

Pedalar durante tantas horas seguidas, a um ritmo constante e elevado, será algo que habitualmente não fazemos. Por isso, a preparação adequada, uma bicicleta ajustada à actividade, uma alimentação cuidada e a integração num grupo de andamento semelhante e homogéneo, são na minha opinião, a chave do sucesso para terminar o Tróia – Sagres. Aqui ficam algumas ideias...

A preparação Trata-se de um tipo de esforço puramente aeróbico. Apenas existem 3 subidas, onde o regime pode entrar na anaerobiose, mas ainda assim por pouco tempo, e com possibilidade de recuperação imediata.
A preparação deverá ser assim orientada para esforços deste tipo. Não são precisos muitos quilómetros de treino intenso para fazer o Tróia – Sagres. É necessária sim, actividade semanal frequente, onde a cadência e a regularidade tenham um papel fundamental.
A semana que antecede o evento deverá ser aligeirada à medida de cada um, para que se possa enfrentar o desafio devidamente repousados.

A bicicleta A adequação da bicicleta à tipologia do evento é fundamental para que dele possamos retirar o maior prazer. A utilização de slicks será fundamental, preferencialmente de medida não superior a 1.0, com as pressões perto do máximo permitido. De resto tudo o mais será possível; até a utilização de bicicletas de suspensão total, ainda que uma rígida de suspensão dianteira bloqueada, ganhe vantagem significativa. Serão ainda possíveis alguns "devaneios", como a montagem de pedais, pedaleiras e cassetes de estrada.

A véspera do evento A véspera do evento será tão importante como o próprio dia, pois a alimentação deverá ser rica em hidratos de carbono complexos, e as horas de sono as adequadas. Devemos evitar o consumo de alimentos/bebidas com propriedades diuréticas, bem como fazer algo anormal à nossa rotina habitual

O dia D  Inicia-se com um pequeno-almoço forte e descansado. Acreditem que mais vale perder 30 minutos de sono, do que ganhar ansiedade, correndo de manhã, com os últimos preparativos.
A alimentação, como já foi referido, assume um papel determinante no sucesso do evento. Bebidas ricas em hidratos, e barras energéticas em quantidade, para reforços de hora a hora. A alimentação deverá ser frequente, e em pequenas quantidades. O carro de apoio procederá ao reabastecimento dos bidons. Caso não possua esta viatura, então há que recorrer ao Camelbak.
O percurso deve ser efectuado, sempre que possível em fila indiana cabendo a cada um a tarefa de puxar à frente durante 2 Kms se não houver vento de frente e 1 Km se o vento soprar de Sul com pouca intensidade, se o vento for muito forte encurta-se ainda mais o espaço que cada um puxa à frente.
A rotação deve efectuar-se por "queda" para trás do que vai na frente. Devemos rolar durante os primeiros 10 minutos a uma velocidade inferior a 30 Kms/h (sem vento) e a partir daí deve-se ir progressivamente aumentando o ritmo até se atingir uma velocidade de rolamento média de 35/38 Kms/h (nas zonas planas) até ao final em Sagres

O PERCURSO
Descarregue aqui o track GPS do percurso em vários formatos.

- Saída de Tróia na rotunda à saída dos ferry.
- Passagem por Comporta, Torre e Carvalhal
- Virar à direita para MELIDES no entroncamento a seguir.
- Passagem por Pinheiro da Cruz e Melides
- Virar à direita para Santo André/Sines no entroncamento a seguir
- Em ALDEIA DE BRESCOS virar à esquerda para SINES
- Passagem pela Cidade Nova de Santo André, entrar na via rápida para Sines e na rotunda perto de Sines seguir em frente na direcção do Algarve.
- Junto a Sines não seguir para Sines e virar à esquerda na direcção do Cercal.
- Passagem junto à central Termo-eléctrica (aqui faço a primeira paragem de 5 minutos para abastecimento).
- Virar à direita para PORTO COVO no entroncamento mais à frente.
- Virar à esquerda na direcção ALGARVE no entroncamento a seguir.
- Virar à esquerda na direcção ALGARVE no segundo entroncamento a seguir.
- Passagem por Foros de Pouca Farinha.
- Virar à direita nas Brunheiras na direcção de Vila Nova de Milfontes.
- Passagem sobre a ponte do rio Mira junto a Milfontes e uns bons quilómetros mais à frente- Sair para a direita na direcção do CABO SARDÃO,
- Virar para a esquerda na direcção de Fataca no entroncamento a seguir.
- Passagem por Fataca, cruzamento de Daroeira e Malavado.
- Virar à esquerda na direcção de S. Teotónio no entroncamento a seguir
- Virar à direita na direcção de Lagos no entroncamento ao chegar a S. Teotónio.
- Passagem por Baiona, Odeceixe, Maria Vinagre, Rogil (aqui faço a segunda paragem para abastecimento no café O PÃO DO ROGIL onde em antecipação já mandei o meu carro de assistência pedir para preparar um chá quente e uma tosta mista) e Aljezur.
- Virar à direita na direcção de SAGRES no entrocamento mais à frente onde se larga a estrada principal que vai para Lagos.
- Passagem por Alfombras, Bordeira, Carrapateira e Vila do Bispo.
- Em Vila do Bispo tomar a via rápida para Sagres.
- Chegada a Sagres, na primeira rotunda sair à esquerda na direcção do centro da vila. Na segunda rotunda junto à Praça da República, seguir em frente pela esquerda na direcção da Baleeira. - Como habitualmente este ano a paragem faz-se junto ao Posto de Turismo em frente à Praia da Mareta.
- Obrigado pela vossa companhia, camaradagem e encorajamento.

1990- Sozinho - 10h 25m 1991 - 2 loucos (acabo sozinho) - 9h 45m
1992 - Sozinho - 8h 36m
1993 - Sozinho - 8h 15m
1994 - 2 loucos (acabamos 2) - 8h 02m
1995 - 2 loucos (acabo sozinho) - 8h 05m
1996 - 8 loucos (acabam 7) - 7h 23m
1997 - 18 destemidos, 2 loucas mulheres (acabam 10 e as 2 mulheres) - 6h 38m
1998 - 40 destemidos, 4 loucas mulheres (acabam 39, incl. 4 mulheres) - 6h 32m
1999 - 48 destemidos (acabaram 32 ) - 7h 02m
2000 - 57 destemidos, 1 destemida mulher (acabaram 52, incl a mulher) - 6h 23m
2001 - 63 destemidos, 1 mulher (acabaram muitos e a corajosa mulher) - 6h 42m nota: Todos os tempos apontados foram realizados pelo grupo em que eu me inseria excepto em 2001, que fiz 6h 55m
2002 - 165 participantes, algumas mulheres, (acabaram mais de 90%), melhor tempo que constitue novo record: 6h 04m. Bati o meu record pessoal e fiz 6h 17m.
2003 - 334 participantes, muitas mulheres, (acabaram muitos), melhor tempo é de 5h 56m. Bati de novo o meu record que passa a ser de 6h 12m.
2004 - 220 participantes, algumas mulheres (acabaram quase todos), melhor tempo é de novo record e passa a ser de 5h 25m. Fui em passeio este ano e fiz 6h 52m.
2005 - Cerca de 350 participantes, muitas mulheres. Quase todos acabaram, alguns a altas horas da noite. Com grande facilidade este ano fiz próximo do meio record, fiz 6h 16'.
2006 - Cerca de 400 participantes, algumas e valentes mulheres. Cada vez mais gente consegue acabar antes do pôr do Sol. Este ano rolei muito tempo só e nunca me esforçei, fiz 6h 55'.

Autor do Texto ciclonatur

WebDisigner - Cristiano Carvalho | bttazeitao@sapo.pt | © 2005 - 2018 Clube BTT Azeitão.