Usuário Senha Registe-se aqui

Dicas para a manutenção da tua bike

 

Alguns conselhos para manter a sua bicicleta como nova

Como qualquer coisa que se move, ela também sofre o seu desgaste. Não a abandone! Se for assíduo na utilização da sua BTT, torna-se necessário levá-la à oficina da sua loja para lhe fazerem a devida manutenção com alguma assiduidade. Lembre-se de lubrificar ou de substituir as massas consistentes periodicamente, assim como os cabos de travões e de mudanças, apesar de lhe parecer continuarem novos.

Lavar a bicicleta

Molhe a bicicleta com uma mangueira, tendo o cuidado de não virar a água com muita pressão para os rolamentos. Limpe-a agora com um pano - esponja e um pouco de desengordurante. Não se esqueça de limpar debaixo do selim. Rode energicamente as rodas e a pedaleira para que a água que está contida nos rolamentos e eixos seja expelida para fora. No final pode passar com um pouco de spray abrilhantador/silicone.

Cuidados com o quadro

Depois de limpar a bicicleta deixe-a secar. Se o seu quadro for de aço ou de crómio - molibdénio inspira mais cuidados com a ferrugem do que se for de alumínio. Para tal, deite um pouco de óleo em spray para dentro dos tubos do quadro, através dos orifícios existentes em toda a estrutura.
Assim evitará a ocorrência prematura de pontos de ferrugem. Quanto à pintura, enquanto que os riscos num quadro de alumínio não são mais do que uma cicatriz cosmética, no que diz respeito a bicicletas de aço já são um verdadeiro problema, pois pode começar a ganhar ferrugem na parte onde falta a tinta. Existem pequenas latas de tinta de várias cores, sendo fácil de aplicá-las com um pincel pequeno. O verniz das unhas também é rápido e eficaz para o efeito.
Certifique-se de que retira todos os pedacinhos de tinta soltos ou ferrugem antes de começar o seu trabalho de retoques. Inspeccione sempre bem o seu quadro na procura de micro - fissuras, principalmente nas zonas de maior esforço, tais como zonas junto ao eixo, pedaleira e à caixa de direcção.

Limpesa e manutenção da corrente

Uma corrente limpa funciona melhor e dura mais tempo. Para tal, utilize um spray desengordurante próprio para limpar correntes. Deixe a corrente absorver o produto durante uns 3 ou 4 minutos, em seguida, limpe-a com água corrente. Se restarem alguns resíduos limpe-os com uma pequena trincha.
Se necessário repita a operação. Não se esqueça de limpar também as duas faces laterais da corrente. Pode aproveitar o solvente e limpar de imediato a cassete traseira, sem esquecer as cremalheiras que pertencem ao desviador traseiro.
No Inverno são frequentes os "chupões" de corrente no quadro. Esta situação é muitas vezes devido a um ou mais elos da corrente estarem ligeiramente amolgados e torcidos, impedindo um bom rolar da mesma. Outras vezes é devido a um desgaste anormal dos elos da corrente, ou mesmo dos dentes das cremalheiras de todo o sistema de transmissão. É altura de substituir alguns elementos!
- Pôr mais óleo por cima do óleo com detritos não serve de nada. Tenha sempre a corrente o mais limpa possível antes de a olear. Se tiver cuidado a olear a corrente, gasta menos óleo e a corrente atrai menos detritos.
Ponha o óleo no lado de dentro da corrente e pedale para trás lentamente de modo a que cada anel apanhe um pouco de óleo. Deixe ficar durante algum tempo e depois limpe o excedente com um pano. Não se esqueça de utilizar os óleos específicos para tempo húmido ou para tempo seco. Os óleos para Inverno são mais viscosos e permanecem mais tempo na corrente quando esta é molhada pela água. Os óleos de Verão, por serem à base de Teflon atraem menos poeiras e resíduos.

Pressão dos pneus

A falta de pressão nos pneus é sem dúvida uma das maiores senão a maior causa de câmaras-de-ar trilhadas e consequentes furos. Além disso, os pneus com pouca pressão dão a impressão de que tem uma âncora amarrada à bicicleta.
Verifique se os pneus têm a quantidade de ar adequado, sem fazer barrigas excessivas nas paredes laterais, e sem estarem demasiado rígidos a ponto de não cederem com a força dos nossos dedos.
Verifique também se os pneus têm cortes nos flancos (zona lateral do pneu), se não estão ressequidos, demasiado gastos ou com tacos arrancados.
Por fim, verifique também se os pneus estão bem montados nos aros: junto ao bordo do pneu, na zona que entra dentro do aro, existe uma linha (guia) marcada que circunda todo o pneu. Verifique se essa guia está equidistante em relação ao aro, em todo o seu perímetro. Alguns pneus têm direcção de rolamento. Tenha em atenção esta particularidade quando os montar.
Geralmente a pressão utilizada nas rodas de 26" que equipam as nossas BTT situa-se entre os 35 e os 40psi, mas tudo isto depende do nosso peso e do gosto pessoal.

WebDisigner - Cristiano Carvalho | bttazeitao@sapo.pt | © 2005 - 2018 Clube BTT Azeitão.